CONFRARIA GASTRONÓMICA DO BACALHAU - Apartado 85, 3834-909 ÍLHAVO - PORTUGAL

Início > Historial
Quem somos e o que pretendemos

 

Confraria Gastronómica do BacalhauA Confraria Gastronómica do Bacalhau constituiu-se em Associação no dia 20 de Janeiro de 1999, na cidade de Ílhavo (Capital do Bacalhau).


O seu aparecimento resultou da vontade de um grupo de amigos que periodicamente se reunia em amenas cavaqueiras sempre “à volta da mesa” e, onde o bacalhau era prato obrigatório.


Após várias reuniões gastronómicas onde se discutiu de que forma o grupo se deveria associar, foi decidido constituir-se em Confraria e, numa homenagem a todos aqueles que participaram na grande epopeia que foi a “Faina Maior”, deu-se o nome de Confraria Gastronómica do Bacalhau, adoptando-se como traje, o Gabão preto, antigo traje de agasalho utilizado na zona de Ílhavo e, Pendão representando uma âncora com um bacalhau incrustado (da autoria do confrade Helder Viana), o qual é suspenso por uma fita de cor amarela e púrpura, cores do Concelho de Ílhavo.

 

Com a finalidade de dar a conhecer, em especial aos mais jovens, as ementas feitas à base de bacalhau e, dinamizar as várias maneiras de o confeccionar, assim como divulgar a história da epopeia da faina maior, pretende a Confraria Gastronómica do Bacalhau não deixar morrer tão rica gastronomia não só da região mas de todo o país onde o “fiel amigo” sempre foi o peixe de todos, ricos e pobres.


Os Confrades, nome dos elementos da Confraria, reúnem-se uma vez por mês em reuniões gastronómicas nos restaurantes do Concelho onde, para além de discutirem assuntos de interesse da instituição, apreciam a forma e a apresentação, de como é servida a refeição, que obrigatoriamente tem de ter um “prato” de bacalhau. Os assuntos tratados nas reuniões são publicados em jornais da região acompanhados por fotografias e, ou versos alusivos à reunião.


De destacar o facto da presença dos Confrades às reuniões ser sempre de 90 por cento.


A Confraria é composta, neste momento, por 30 Confrades com as mais diversas profissões (Presidente de Câmara, Presidente de Junta de Freguesia, antigos e actuais capitães da frota pesqueira, funcionários administrativos, engenheiros, professores, comerciantes, industriais de transformação de peixe, bancários, economistas e um jornalista.


Os seus Corpos Directivos são eleitos de três em três anos e têm os seguintes títulos: Grão-Mestre, Vice Grão-Mestre, Mestre Chanceler, Mestre Cerimonial, Mestre Ecónomo e Mestre Conselheiro.


Em contacto permanente com a Direcção funciona a Secção Cultural composta por quatro Confrades e um Confrade responsável pela Comunicação Social.


É membro da Federação das Confrarias Gastronómicas Portuguesas.


Das várias iniciativas levadas a efeito, destacam-se as presenças nas Feiras Gastronómicas de Aveiro, organizadas pela Rota da Luz onde milhares de pessoas visitam a “Confratasca” (espaço gastronómico da Confraria) sempre com a lotação esgotada já que as ementas sempre à base de bacalhau, (chora, bacalhau à Confraria, rissóis de bacalhau, salada de bacalhau, feijoada de samos, arroz de línguas, carinhas fritas, etc,etc,) acabam todos os dias por esgotar.

Santander, Eibar, Bilbao, Noreña, Toledo (Espanha), Póvoa do Varzim, Santarém, Miranda do Douro, Almeida, Coimbra e Lisboa têm sido locais onde presença da Confraria é já obrigatória tal tem sido o êxito da Confraria sempre na divulgação do bacalhau e seus derivados.


Em Ílhavo, em finais de Agosto, a Confraria organiza, juntamente com a Autarquia as “Tasquinhas Típicas” onde todos os espaços gastronómicos presentes são obrigados a terem um “prato” de bacalhau.
As edições já realizadas tiveram a presença de mais de 20 mil pessoas, vindas das mais diversas localidades do país, que além de saborearem a rica gastronomia portuguesa podem também assistir à actuação de vários cantores populares e da Confraria que apresenta um programa de canções de Ílhavo e poemas dedicados ao mar.

Este evento (Tasquinhas Típicas) foi convertido em 2008 no Festival do Bacalhau, com a mudança de local para o Jardim Oudinot, junto ao porto de Aveiro, e com o aumento de Associações intervenientes, além da presença da maioria das empresas transformadoras de bacalhau, significou um salto quantitativo e qualitativo em toda a organização, que está bem patente na visita de mais de 120.000 pessoas, que durante os 5 dias do Festival têm consumido mais de 9 ton. de bacalhau.

continuar

 
2017 Confraria Gastronomica do bacalhau. Todos os direitos são reservados